quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Juromenha: castelo de Geraldo, o Sem Pavor.

Torres almohadas do castelo de Juromenha.

Após a conquista de Évora, definitivamente liberta do domínio sarraceno em Setembro de 1165, Geraldo instalou o seu quartel general nesta cidade e daí lançava as suas frequentes e devastadoras cavalgadas em terras da mourama, mas, pouco tempo depois, na fase preparatória do primeiro assalto contra Badajoz, em 1169, a base logística avançada do caudilho português contra esta importante poderosa praça muçulmana parece ter-se deslocado para Juromenha, alcandorada na margem direita do Guadiana e a dominar do alto os teatros planos e abertos da margem esquerda do rio onde, mais tarde, supomos que já nos tempos de D. Dinis, veio a edificar-se a povoação cristã de Olivença e onde hoje verdejam, em pleno verão, os coloridos prados que os espanhóis souberam conquistar às águas do plano Badajoz.
[José Pires Gonçalves, Monsaraz da reconquista, Anais, Academia Portuguesa de História, Volume 25, pp. 16-17.]

Até breve.

2 comentários:

FerdoS disse...

Pequena Juromenha raiana
De rio Guadiana banhado
Terra de histórias familiares
Bem conhecida por este lado.

Ferdos

PS:Apenas espero que o castelo esteja em melhor estado!
Ai ai este IPPAR!!!

Pedro Alvites disse...

É como diz!